A VOLTA: Best Videos Of 2013

By December 11, 2013All, Lists

best-videos-2013-a-volta

Nossa seleção com os melhores vídeo de 2013, incluindo Drake, Kanye, FKA Twigs, Rihanna e Vampire Weekend.

Confira tudo logo abaixo.

21. MFN eXquire – Nightfall At Thames (dir. by Shane Annas)

O excêntrico MFN eXquire juntou duas músicas, Noble Drew Ali e The Cauldron em um único vídeo. Nightfall At Thames é praticamente um curta artístico, começando com o rapper declamando a acapella da primeira música em cima de um carro em alguma esquina do Brooklyn, e acaba com uma stripper num motel. Esqueça champagne, eXquire celebra noite em grande estilo com cidra, numa banheira cheia de espuma em formato de coração.

 

20. 2 Chainz – Used 2 (dir. by Marc Klasfed)

2 Chainz ressuscitou o clássico Back That Azz Up no vídeo de Used 2, faixa de seu álbum produzida por Mannie Fresh. Além da camiseta escrita “Free B.G.” (que hoje cumpre pena), Chainz também recrutou todos os antigos membros do grupo Hot Boys para o clipe, incluindo Lil Wayne, Turk e Juvenile. O vídeo é uma homenagem não só ao grupo, mas também à cena de New Orleans, com Hummers, camisetas brancas e muito twerk.

 

19. Dizzee Rascal – I Don’t Need A Reason (dir. by Emile Sornin)

O vídeo de I Don’t Need A Reason do Dizzee Rascal é um festival de bizarrice. O clipe mostra Dizzee como Rei e um pessoal como aristocratas fazendo maluquices no fundo. Tudo acompanhado de condessas gatas e loops absurdos no estilo GIF.

 

18. Blood Orange – Chamakay (dir. by Adam Bainbridge)

Sempre com visuais incríveis, Blood Orange não podia deixar passar o ano em branco, afinal o artista teve nas mãos um dos melhores álbuns do ano. Para o vídeo de Chamakay, que conta com vocais de Caroline Polacheck do Chairlift, Dev Hynes voltou à sua cidade natal Georgetown, na Guiana, pela primeira vez desde que tinha 3 anos de idade. O encontro foi capturado por Adam Bainbridge (também conhecido como Kindness) e inclui o avô de Hynes, de 93 anos, cujo o cantor nunca havia conhecido.

 

17. Toro Y Moi – Say That (dir. by HARRYS)

Impossível não amar o humor de Chaz Bundick. Dirigido por HARRYS (responsável por outros vídeos do Toro Y Moi), o clipe mostra o cantor em poses esquisitas na floresta, brincando e cantando em imagens que fariam muito bem capa de algum disco dos anos 70.

 

16. Charli XCX – What I Like (dir. by Ryan Andrews)

Charli XCX, uma das nossas artistas favoritas do ano, merece muito mais reconhecimento do que anda tendo. A real autora por trás do hit I Don’t Care do Icona Pop, foi lançada pela Atlantic com um álbum completo logo em Abril. O vídeo de What I Like foi perfeito pra definir quem é Charli e quem ela representa: qualquer menina adolescente obcecada pelos anos 90 e que passa cerca de 24 horas por dia no Tumblr.

 

15. Birdy Nam Nam – Defiant Order (dir. by Nicolas Davenel)

Os franceses do Birdy Nam Nam, agora parte do selo OWSLA do Skrillex, lançaram no início do ano o vídeo de Defiant Order, pra provar que a França continua sendo involuntariamente o país mais alt do mundo. Apesar de não se comparar com uma direção de Romain Gavras, o clipe tem uma pegada meio Signatune do DJ Mehdi, e conta com imagens incríveis de adolescentes fazendo coisas absurdas em cima de motocicletas.

 

14. A-Trak & Tommy Trash – Tuna Melt (dir. by Ryan Staake)

O vídeo de Tuna Melt acabou com qualquer outro vídeo já feito no estilo Rube Goldberg (onde uma peça cai e derruba a outra, fazendo uma espécie de ciclo). O diretor Ryan Staake contou com a ajuda de Tom Fort (conhecido como Kinetic King) para fazer diversos objetos serem derrubados como dominós, entre eles uma boia de pato, um avião de papel e torradas. Pra completar a pegada lúdica infantil o clipe se passa dentro de um casarão do século dezenove.

 

13. Action Bronson – Strictly 4 My Jeeps (dir. by Jason Goldwatch)

Mais um vídeo produzido pela Noisey, dessa vez pra Strictly 4 My Jeeps do Action Bronson. Dirigido pelo veterano Jason Goldwatch, o clipe é um passeio do rapper de Jeep pelo Queens, com participação de Riff Raff, mulheres bem avantajadas e um churraquinho, é claro, com direito a sobremesa e tudo.

 

12. Django Django – WOR (dir. by Jim Demuth)

A banda britânica Django Django adicionou esse ano mais um vídeo à sua coleção de vídeo incríveis. Para a faixa WOR, lançada no álbum do ano passado, o grupo levou o pessoal da Noisey à Índia. As filmagens mostram o evento chamado Wall of Death, em Allahabad, onde motos e carros circulam verticalmente em alta velocidade por uma parede em forma de cilindro. Tão louco quanto soa.

 

11. Vampire Weekend – Diane Young (dir. by Primo Kahn)

Modern Vampires Of The City saiu no início do ano e já levava título de um dos melhores de 2013. O primeiro single, Diane Young, foi apresentado em março, com o vídeo de um carro em chamas acompanhado pela letra da música (a primeira frase era “You torched a Saab like a pile of leaves”). O clipe enfureceu os fãs de Saab (aparentemente os dois veículos utilizados era modelos raros), assim como os antigos donos, que descreveram a banda como “a bunch of dicks”. Após se desculpar e declarar que respeitam carros (!!!) a banda produziu um outro vídeo para a faixa, dessa vez com participação de todos os membros. O grupo reproduziu a Santa Ceia (antes da A$AP Mob), com alguns de seus amigos famosos: Sky Ferreira, Santigold, Dave1 e P-Thugg do Chromeo, Primo Kahn e Hamilton Leithauser do The Walkmen e Dave Longstreth do Dirty Projectors. Tudo corre bem até que os convidados começam a discutir, depois disso o clipe envolve guerra de comida, um saxofone usado como bong, muito confeti, glitter e uma figura misteriosa de balaclava.

 

10. Duck Sauce – It’s You (dir. by Philip Andelman)

Após o sucesso do vídeo de Barbra Streisend alguns anos atrás, Armand Van Helden e A-Trak voltaram ao estúdio essa ano para finalmente trabalhar num álbum completo da parceria. Apesar de o disco só sair no ano que vem, pudemos ouvir dois singles esse ano. Um dele é It’s You, que saiu acompanhado de um vídeo, não tão absurdo quanto o de Big Bad Wolf mas ainda absurdo. Tudo se passa dentro de uma barbearia, que começa a ganhar vida em torno da música.

 

9. Mykki Blanco – Kingpinning (dir. by Clarence Fuller)

Muso/Musa absoluto desse ano, Mykki Blanco não podia faltar nessa lista, afinal, o princeso illuminati é responsável por alguns dos melhores vídeos dos últimos tempos. Em Kingpinning podemos ver as diferentes personalidades de Mykki: uma hora num carro passeando pela cidade ao lado do produtor da faixa, Brenmar, e de Analisa Teachworth (garota do vídeo do Blood Orange que apareceu na nossa lista de melhores do ano passado). Na outra, fazendo sua performance de lingerie e peruca. O clipe conta também com participações breves de Dev Hynes e Vashtie.

 

8. Chief Keef – Citgo (dir. by Will Hoopes)

Em um de seus melhores vídeos, Chief Keef volta à ideia de unir sua crew na zona sul de Chicago, sua cidade natal. Lançado como comemoração ao seu aniversário de 18 anos, o clipe mostra o quanto a vida de Keef mudou em tão pouco tempo. Mesmo passando meses na prisão, o rapper agora tem carros, motos e uma mansão. O clipe tem direção quase artística, a qual diríamos ser proposital se o diretor não fosse Will Hoopes, responsável por tantos outros vídeos do grupo (inclusive o recente e ótimo de All My Ni**as do Lil Herb). Mas muito além da estética, o vídeo nos faz perceber que Keef na verdade continua igual, mesmo depois de tudo. O menino foi descoberto por Kanye e conseguiu rios de dinheiro em questão de meses. Porém, conseguiu trazer com ele todo seu grupo, transformando a GBE como selo distribuído pela gravadora Interscope ao lado dos colegas Young Chop, Lil Reese e de seu primo Fredo Santana. Todos jovens típicos de súburbio, vira e mexe cumprindo pena ou em condicional, e que não precisam de champagne ou mulheres gostosas pra provar que estão no ápice de suas vidas.

 

7. A$AP Ferg – Shabba (feat. A$AP Rocky) (dir. by Andrew Hines)

A$AP Ferg, que nesse ano conseguiu crescer na mídia mesmo que às sombras de Rocky, não deixou o sucesso de Work terminar sem antes lançar um hit tão bom quanto. Shabba foi ápice de Trap Lord, e teve um vídeo à altura. Exagerado é pouco no que diz respeito ao luxo ostentado. Mansão, carro esportivo, mulher gostosa e ouro, muito ouro. Afinal o vídeo é uma homenagem à lenda do dancehall Shabba Ranks, que além da fama de sedutor, deixava qualquer rapper no chinelo no quesito jóias – como o próprio refrão da música se encarrega de descrever. O cantor é retratado pelo colega da Mob Ian Connor, e a participação do próprio Shabba no final vem quase como uma surpresa — se o fato não fosse anunciado antes por toda a parte. O clipe conta ainda com uma representação da Santa Ceia e com participação de uma mina do The Wire que até agora não sabemos quem é.

 

6. Rihanna – Pour It Up (dir. by Rihanna)

O vídeo de Pour It Up, música lançada originalmente no ano passado, saiu em outubro e levou menos menos de dez minutos pra ser banido do Youtube. No clipe RiRi mostra pra todo mundo como é que se faz — não só twerk, mas um vídeo da hora. Dinheiro, trono, strippers e jóias, nada a mais do que já vimos inúmeras vezes em diversos vídeos de hip hop. A única diferença aqui é que quem senta no trono é Rihanna, e convenhamos, ela prova que sabe usá-lo melhor do que qualquer homem. Se o mundo não acha que a cantora tem tanto dinheiro, quer dizer, direito pra também curtir a vida, dane-se — cause that’s how she ball out.

 

5. A$AP Mob – Trillmatic (feat. A$AP Nast & Method Man) (dir. by Jonah Schwartz)

Com referências que vão do título (Illmatic do Nas, pra quem não reconhece) até os mínimos detalhes do vídeo (saca o celular tijolo, luxo nos anos 90), a A$AP Mob conseguiu deixar todo mundo nostálgico pelo hip hop old school de NYC . Inclusive nós, que só descobrimos tudo aquilo em meados dos anos 2000. O refrão “I got a funky funky style with a funky swag” vem da dupla Nice & Smooth, que lançou a line na Hip Hop Junkies em 1991. E a final “Clowns be watching, best protect ya neck”, citação direta da famosa Protect Ya Neck do Wu Tang. Como se não fosse o bastante, o vídeo conta ainda com a participação do próprio Method Man.

 

4. Kanye West – Bound 2 (dir. by Nick Knight)

Kanye zoou bonito com a cara de todo mundo no vídeo de Bound 2 — com ajuda inesperada e, temos que dizer, impressionante de Kim Kardashian. O casal é alvo de críticas desde o início. Do lado de Kim, queridinha da América, pela atitude revoltada de Kanye (o mundo de lá parece nunca esquecer o tal episódio dos VMAs, quando o rapper sofreu comentários negativos até do presidente). E dos fãs de Kanye, por Kim ser… Kim Kardashian! Sem mais. No final é inegável que os dois compõe uma dupla interessante. É como se tudo de mais genial e tudo de mais estúpido no mundo se unissem. Bound 2 é a representação perfeita dessa ideia, misturando a música do incrível e aclamado Yeezus com imagens breguíssimas que vão de cavalos correndo no deserto aos alpes. Pra tudo fazer ainda mais sentido, Kim participa fazendo o que faz de melhor. Não precisa comentar o que, né.

 

3. Gesaffelstein – Pursuit (dir. by Fleur & Manu)

Fleur & Manu, responsáveis pela aclamada trilogia de vídeos do M83, conseguiu repetir a dose de genialidade esse ano. Em Pursuit, do produtor revelação Gesaffelstein, a dupla brinca novamente com os sentidos do expectador. Tudo começa com uma cena em que duas crianças sorriem juntas, do jeito mais incômodo possível (creepy mesmo). Alguns anos se passam e descobrimos que o menino é rejeitado por ter uma mão robótica dourada, fato que mais tarde o torna numa espécie de ídolo. As cenas sequentes são quase um voyeurismo, provocantes e cheias de simbologias escondidas. São metáforas mostradas através de imagens agressivas, que parecem dar sentido às batidas da música — violentas e desconstruídas, que encaixam perfeitamente na confusão visual.

 

2. FKA Twigs – Papi Pacify (dir. by FKA Twigs & Tom Beard)

O vídeo de Papi Pacify da FKA Twigs, cantora britânica que se destacou brilhantemente esse ano, com certeza merece segundo lugar. Acompanhada pela produção genial de Arca, as filmagens mostram Twigs expressando de maneira subversiva a sexualidade feminina. Envolvida por braços e mãos musculosas de um homem, a artista tem sua cabeça pressionada pra trás enquanto dedos apertam sua garganta e abrem sua boca à força. Momentos incrivelmente agoniantes, onde você se perde entre violência, sensualidade, prazer e desconforto. Após alguns minutos, porém, as cenas perturbadoras dão lugar a imagens hipnotizantes de Twigs, contrapondo sua beleza estonteante com o rosto coberto de glitter. Tudo muito angustiante, mas absolutamente lindo ao mesmo tempo.

 

1. Drake – Worst Behavior (dir. by Director X)

Fala sério. Mesmo com o estilo mais sem graça e esquisito da história, Drake sempre consegue superar. Talvez pelo fato de ele mesmo estar ciente do quanto é zoado internet afora. Afinal, pra que levar tudo tão a sério? O vídeo de Worst Behavior foi gravado em Memphis e faz homenagem à cena musical da cidade, mostrando no início o famoso Royal Studios do cantor Willie Mitchell. Tudo fica melhor quando seu pai aparece, de terno branco, chapéu, óculos escuros e jóias, encarnando um vendedor de carros com outros três caras vestidos na mesma vibe pimp. Aparentemente Dennis Graham (nascido em Memphis), é um ex-músico que acabou de redescobrir sua paixão pela música — com ajuda do filhote prodígio Drizzy, é claro. Mais à frente vemos um momento wtf envolvendo Juicy J, Project Pat e os colegas da OVO Ryan Silverstein e OB O’Brien. Esse último vestido de coruja, mascote do selo, falando coisas absurdas sobre seu CD demo. Pra completar, Drake reafirma sua fama de bom moço segurando crianças fofinhas no colo e usando um look inspirado na sua musa Aaliyah em frente a um restaurante de frango frito. Não tem como não achar esse vídeo o melhor do ano.